Voltar

Passagem do discurso directo para o discurso indirecto

 

Discurso directo – transcrição da declaração (fala, discurso) de um indivíduo ou de uma personagem na primeira pessoa.

Discurso indirecto – esta declaração enunciada na terceira pessoa por um narrador.

Exemplo de discurso directo: «Passei no exame.» E de discurso indirecto: «A Ana disse que tinha passado no exame.»

 

Há todo um conjunto de procedimentos, de maior ou menor complexidade conforme o domínio que se tem da língua, que a seguir sintetizamos.

Na passagem do discurso directo para o indirecto é necessário utilizar verbos introdutores do discurso. Os principais são:

Declarativos: dizer, afirmar, declarar, comunicar, exclamar, proferir, responder…

De inquirição: perguntar, interrogar, pedir…

De opinião: acreditar, crer, julgar, considerar, achar, pensar…

Declarativos de ordem: ordenar, prometer…

De sentimento: desabafar, lamentar, lastimar…

Interactivos: começar, continuar, acrescentar, atalhar…

É também necessário fazer alterações nas categorias verbais (modo, tempo e pessoa), nos pronomes, nos determinantes e nos advérbios:

DISCURSO DIRECTO

DISCURSO INDIRECTO

Verbo declarativo ou de inquirição (dizer, perguntar, responder, pedir, ordenar…)

Tempos e modos:

· Presente

· Perfeito

· Futuro do indicativo

· Futuro do conjuntivo

· Modo imperativo

Tempos e modos:

· Imperfeito

· Mais-que-perfeito

· Condicional

· Imperfeito do conjuntivo

· Modo conjuntivo

Pessoa gramatical

(verbos, pronomes pessoais, pronomes e determinantes possessivos):

1. ª

ou 2. ª  pessoas

Pessoa gramatical

(verbos, pronomes pessoais, pronomes e determinantes possessivos):

3.ª  pessoa

Demonstrativos:

Este, esta, isto

Esse, essa, isso

Demonstrativos:

Aquele, aquela, aquilo

Advérbios de tempo:

agora, já, imediatamente, hoje, ontem, na véspera, amanhã, logo

Advérbios de tempo:

então, naquele momento, logo, naquele dia, no dia anterior, no dia seguinte, depois

Advérbios de lugar:

aqui

Advérbios de lugar:

ali, além, acolá

Vocativo

Desaparece ou passa a

complemento indirecto da oração

subordinante

 

O discurso directo é marcado pelo parágrafo (quando o locutor muda), pelo travessão ou aspas e, algumas vezes, pelos dois pontos. Podem ser mantidas interjeições, frases de tipo exclamativo, vocativos, uso afectivo dos determinantes, vocabulário e frases próprias da oralidade.

 

Ex: «- Você ainda devia era pagar para estar aqui! Aqui num estúdio de televisão, a aparecer depois no ecrã quando o programa for para o ar, a ser visto pelos seus amigos… Quanto é que isto não vale?»

 

Na passagem do excerto para o discurso indirecto, procede-se às reformulações necessárias:

 

«Ele exclamou que o rapaz ainda devia pagar para estar ali. Ali num estúdio de televisão, a aparecer depois no ecrã quando o programa fosse para o ar, a ser visto pelos seus amigos. Perguntou quanto era que aquilo não valia.»

 

Maria João Matos, Ciberduvidas (http://ciberduvidas.sapo.pt/) Adapt.

 

Voltar